Demorou um pouco mais do que era esperado, mas finalmente “Apocrita” saiu!

O EP da Autoclismo precisou maturar para sair ao gosto do cliente, e saiu exatamente como a banda pretendia soar: um stoner meio surf music, flertando com o post rock e a excelência do jazz

Gravado com o mestre Mike Soares do Orange Studio, o EP traz as faixas Plastic Free Oceans e Rubber Pig Saussage.

Um baixo nervoso, pesado e sujo dá o tom em Plastic Free Oceans, com a bateria precisa do Jarrel “Mão de Tijolo” – como é chamado carinhosamente pelos colegas de banda – fazem a cozinha perfeita pras guitarras de Lucas Barbosa ficarem à vontade para seus riffs e efeitos. Um wah wah bem executado dá um brilho todo especial. Apenas o solo, onde parece entrar um fuzz – e fuzz é algo bem temperamental -, soa meio estranho, pois quando a guitarra deveria ganhar destaque, ela dá uma sumida. Mas nada que comprometa.

Rubber Pig Saussage é certeira. Começa com o baixo puxando o riff e mostrando quem manda. Uma guitarra com um tremolo bem encaixado dá um clima bacana ao quebrar a expectativa de distorção, deixando o som clean e com um timbre lindo. Talvez a banda pudesse pensar um pouco mais em certas camadas desse tipo… Um solo curto com ataques pesadíssimos finaliza o EP e a gente fica querendo ouvir um pouco mais.

*Rubens Lerneh