Leonardo Panço é Leonardo Fernandes Cardoso, carioca da Vila Penha, mola propulsora do underground desde os anos 1990 do século passado, onde editou fanzines, ajudou a formatar uma rede de troca de materiais entre as cinco regiões do país e formou e tocou com Sutien Xiita, Cabeça e Jason, que o levou a excursionar por “oropa, Fraça & Bahia” a partir da primeira metade dos anos 00. Em carreira solo, Panço chega a seu quinto e mais arrojado trabalho, “Youi”.

Gravado remotamente antes do remotamente ser o novo normal, “Youi” foi um quebra-cabeças de ideias compiladas por Panço em Ubá (MG), acrescidas, já à distância, da bateria do sergipano radicado em São Paulo Thiago Babalu (Gigante Animal, Urutu, Lee Ranaldo – Sim, ele mesmo, Lee Ranaldo do Sonic Youth), e teclados, guitarras, edições  e violões por conta de Mauricio Mattos, Tudo isso passou pelas mãos de Zé Felipi, ex Zumbi do Mato, e ainda ganhou colaborações do baixista onipresente Missionário José (Cascabulho, Otto, Mombojó). 

Assim, “shaked not stirred”, detrás pra frente, “Youi” se apresenta a olhos vistos como um trabalho experimental, termo frequentemente empregado pela extinta indústria do disco para produtos considerados impossíveis de serem classificados nos escaninhos das lojas de disco, como “Metal Machine Music (Lou Reed) ou “Zero Tolerance for Silence” (Pat Matheny).

O fato de “Youi” carregar esse carimbo de “experimental” não quer dizer que ele seja inaudível, desagradável, indigesto ou difícil. O que deve ser deixado de lado aqui não são as 16 canções de “Youi”, mas a maneira como se consome música. “Impossível” é uma expressão que não existe. Sua maneira de absorver música já foi corrompida nos últimos anos, silenciosamente, e você nem se deu conta.

Ouça “Youi” em http://leonardopanco.bandcamp.com