No dia 19 de novembro de 2021, Monise Borges nos trouxe seu mais novo EP, Pra ficar Agarradin, que vem numa pegada diferente do seu poderoso Não vão nos Calar, lançado em fevereiro desse ano. Em 4 faixas, Monise nos trouxe as mais variadas facetas do amor, cantado com muita suavidade e beleza.

O lado bom desse EP é que Monise, após o lançamento, utilizou cards em seu Instagram mostrando um pouco da mensagem de cada canção, fazendo com que a própria emissária das canções nos desse drops das mensagens que queria passar com as músicas. Aqui, daremos nossas impressões desse EP, que achei maravilhoso.

“Sentido Invertido” é um afoxé que traz um dilema que toca em muitos corações nesse mundão: que é quando “a cabeça diz que não/e o corpo diz que sim”. Trata sobre aquele amor de corpo, onde as pessoas não tem aquele envolvimento de relacionamentos, que às vezes acham ruim o encontro por expectativas geradas, mas não se privam de um momento legal do lado do outro.

“Penso em Ti” é a música desse EP que pode fazer rios escorrerem dos olhos daqueles que tem um amor não-resolvido (ou já resolvido pro fim). Imediatamente fiz um intertexto com “Que nem Jiló”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, que tão bem souberam elucidar o significado das saudades. “Penso em Ti” traz aquela saudade que nos faz esperar por aquele amor que talvez não tenha mais volta.

“Transmutou” já deixa em seus primeiros versos que a canção é pra colocar pra fora a dor de um amor que se foi. “O tempo é mais um detalhe que transmutou”. Além da letra maravilhosa e necessária pra externar essa dor, o trabalho feito com as guitarras nessa música é belíssimo.

“Compartilhar o Céu” é uma música que veio com uma sonoridade diferente do resto do EP, trazendo baterias firmes, com o baixo aparecendo bem demais. A música fala de amor num dueto onde a história mostra um casal que se encontra e vive um relacionamento legal, “sendo calmaria em meio a um caos”, como disse a Monise em um dos seus cards. A música conta com a participação de Rômulo Augusto, também cantor, que ficou bastante conhecido por sua participação no filme “Ai que vida!” (não, ele não era o GÉEEEEEEERALD, mas era o mocinho da trama).

O EP é muito bom e seu título bem sugestivo, pois fala, e muito bem, de amor. Além disso, Monise tem uma das vozes piauienses mais gostosas de se ouvir.

*Jairo Mouzzez