Quanto tempo é necessário, por dia, para se dedicar a alguma atividade ou hábito que lhe faz bem? Ou, então, como equacionar o cotidiano entre as obrigações formais, como trabalho e família, e os hobbies, como ler um livro ou tocar guitarra? Não importa se serão quatro minutos ou quatro horas, mas Ed Curva, brasileiro hoje radicado na Nova Zelândia, determinou que separaria alguns momentos dos seus dias para algo urgente à sua existência: a música.

Este é o contexto do novíssimo projeto que Curva apresenta a partir de ‘In the Morning’, o primeiro single de um EP de quatro faixas instrumentais que transitam entre o soft rock, lo fi e música ambiente.

“Na correria do dia a dia, ‘In the Morning’ me ajuda a relembrar que tá tudo bem se nem sempre tenho todo tempo do mundo para fazer o que quero. Mesmo assim, posso dar o meu melhor e ficar em paz comigo mesmo, seja por quatro minutos ou por quatro horas”, destaca o músico sobre a faixa de estreia.

O single é a gênese e síntese do que propõe Ed Curva no vindouro EP — em fevereiro. ‘In the Morning’ é recheada de camadas de guitarras e teclas, pontuada por batidas envolventes e suaves orquestrações ao fundo, que conduzem o ouvinte à viagem pela própria mente nas primeiras horas do dia.