Em 2021 foi lançada a coletânea Poetas do Estanhado com 21 poetas de União – cidade que fica a 56 km de Teresina. O nome Estanhado faz referência à fazenda que deu origem à cidade, além de ser o nome do coletivo que realiza várias ações no âmbito literário unionense, dentre eles, o Sarau da Cesta de Poemas.

Dos 21 poetas que participaram da coletânea, 18 tiveram poemas editados nos materiais do Sarau da Cesta de Poemas, evento literário muito prestigiado na cidade que, desde 2007, contribui para lançar e revelar nomes na poesia da cidade de União.

João Batista de Carvalho, organizador da coletânea, convidou poetas unionenses que estão em plena produção poética dando ao trabalho um quê contemporâneo. Um ponto a ser observado é que uma grande parcela dos poetas do Estanhado ainda não publicaram suas obras autorais, mostrando o quão foi importante a iniciativa do organizador em ceder espaço aos escritores.

João Batista de Carvalho – Organizador. Foto: Redes Sociais.

Selvagem

A flor coloriu

Mesmo sendo outono

E caiu logo na primavera

Mas, todo verão

Que naquela estação

O frio expandia

E que o inverno aquecia

O coração

De quem não precisava

De domesticação

(Alessandra Carneiro)

É certo que a coletânea abrandou um pouco a saudade que os habitantes de União estavam dos encontros poéticos, dos saraus, publicações, e tudo aquilo que permeia a literatura – a coletânea é a materialização desses encontros.

Vovó lavadeira

o dia todo vovó lavou roupa

lavou roupa

lavou roupa


quando a noite veio

ajuntou a roupa

arrumou a trouxa


seguiu uma vereda

invisível

a alma tão limpinha

livre da suja roupa do corpo


dormiu

e acordou toda vestida de nuvens


– não voltou pra botar o almoço

(João Batista de Carvalho)

Poetas do Estanhado é um chamado para apreciarmos a literatura que é produzida além da capital. Para comprar a coletânea, clique aqui.