O hardcore, como um movimento sociocultural que vai além de se fazer música, busca abrir a mente do indivíduo como parte de um mundo e suas desigualdades, adversidades e crueldades, ao mesmo tempo um espaço e tempo do amor, da felicidade, de amizades e de respeito à diversidade.

No segundo disco da carreira, intitulado Sabotagem, o quarteto Apto Vulgar de Jacareí (interior de São Paulo) carrega as 10 faixas com mensagens de alerta e questionamentos sobre o duro cotidiano em que todos querem ao menos dignidade para seguir em frente.

Gravado ao longo de 2021 no 1100 Estúdio, em Diadema (SP), Sabotagem soa propositalmente cru e orgânico: escancara o punch dos acordes e realça a quebrada da bateria graças à cuidadosa mixagem e masterização do produtor Vinicius Buchecha.

O álbum mostra o amadurecimento do Apto Vulgar, tanto na sonoridade, colocando o HC old school em diálogo com variáveis contemporâneas do gênero ou misturando com hip-hop e heavy metal, como também nas mensagens das letras, que trazem urgentes críticas sociais, questões da conduta humana e sobre a vida cotidiana.

“Sabotagem é um disco sólido, onde conseguimos nos expressar de várias formas através da música, contar várias histórias, cada uma delas fala de alguma coisa real, um problema social ou interno. E um disco político de várias formas, é sobre amor, sobre raiva, e todo tipo de sentimento que podemos ter!”, comenta o vocalista Bonzo.