A Quarta Autoral do Locomotiva Irish Pub em parceria com a 202 Produções vem se consolidando como palco de destaque para as bandas autorais de Teresina, sempre com um bom público de ouvidos atentos e dispostos a conhecer outros sons, outras experiências.

Falando em experiências, nada melhor para abrir a noite do que o trabalho musical do multiartista Érico Ferry, que atende também por Fryer.

“St. Joseph, Pt. 2” abre a apresentação, com o seu andar numa crescente, que nos leva a uma catarse, com público e banda interligados numa mesma vibração.

Na sequência, as músicas do The Mosh – Before the Darkness vão nos envolvendo de forma suave e agressiva, com uma performance visceral de Fryer, com destaque para “Na Sacada” e “Sinal de Outubro”, que encerra a apresentação de forma brilhante. Não reconheci uma das músicas tocadas no começo do show. Acredito que seja de um trabalho futuro, que já aguardamos com ansiedade.

Primeira apresentação da Monte Imerso após o lançamento do excelente Nunca Mais Andar Aqui. O show passou por músicas dos dois EPs e outros singles, como “Ilusões”, que aos primeiros acordes já faz o público se agitar. Melhor show deles que já vi. A banda parece mais coesa e, sobretudo, parece ter plena propriedade do que pretende com seu som.

Nessa noite em específico queria muito ouvir as canções do Nunca Mais Andar Aqui. Não me decepcionei.

Jean Sousa arrebentando tudo na sua bateria, embalado nas ótimas guitarras de Davi Abel e Zacarias Seriano, com os graves precisos do Rafael Marques. A banda contou ainda com a ilustre participação de Pedro Ben. Que prazer ver isso tudo ao vivo.

Bonito demais ver o público cantar as músicas de bandas autorais, bonito demais!

Que o projeto da Quarta Autoral continue e gere bons frutos.