Teófilo dos hits “Pedra do Sal” e “A Volta do Zorro”, entre outros tantos, lança seu disco mais fora da curva, como afirma o próprio artista. O EP traz cinco músicas, todas uma verdadeira polaroid da situação que o país atravessa neste últimos anos. Pra não deixar dúvidas, versos de “O Problema” escancaram: “O problema é que a arte comunica, apavora homofóbico, racista e fascismo não da pra disfarçar”.

“Lusco-fusco é o momento em que o dia se mistura à noite e a luz não ilumina. Na estrada, durante o lusco-fusco, os faróis não clareiam. As músicas deste projeto são fora da curva do meu trabalho e nasceram neste tenebroso momento de pandemônio mundial – também fora da curva – pelo qual passamos. Expressam o incerto, o inseguro, o impreciso, o imprevisto. Mas com fins de liberdade e desafogo, afinal, a arte é aquele sopro de alívio capaz do refrigério e que melhor define um momento social”.

Téofilo Lima é um parnaibano de Magalhães de Almeida, que fundou em 1990 a banda Rabiscos Urbanos. Em 1994, resolveu seguir carreira solo, participando da etapa piauiense do Canta Nordeste. No ano de 1998 mudou-se para Teresina, onde em 2001 gravou seu primeiro disco, “Teófilo Com Fusão”. Entre shows Piauí afora e atuações em outros segmentos culturais, Teófilo lançou dois discos autorias, “Matulão” (2005) e “Teófilo” (2018). Este ano lança o presente EP.

Foto: Gelson Catatau

Este EP é o 4º trabalho autoral de Teófilo Lima e contou com a participação do músico e engenheiro de
som Iago Guimarães, que dividiu a produção musical com Levi Nunes. Além de grandes músicos,
Luizão Paiva – pianista dos Caymmi, Moraes Moreira, Chico Buarque e outros grandes nomes da MPB –
além de ganhador do Grammy, deu brilho a esse Lusco-Fusco.