O bom humor do carioca é conhecido por todos. E é nessa característica que o cantor e compositor Gabreoh traz fortemente em seu novo EP, “Lapsos Temporais”. Seu novo trabalho surgiu em meio a pandemia e, talvez por isso, traz na raiz a vontade de criar e explorar o máximo que pode, misturando ideias complexas e simples, com o intuito de fazer músicas divertidas. O compacto antecipa o álbum com uma vibe surrealista, que resultará no disco de estreia, “Não tem Vaga”, ainda sem previsão de lançamento.

“Na questão estética e visual minhas referências vêm de vários lugares e é uma mistura, mas ela se baseia muito em obras de comédia (filmes, séries, quadrinhos, animações), coisas cartunescas, surrealismo. Tudo isso misturado com a estética do cotidiano brasileiro. Sempre fazendo observação do absurdo e puxando pro humor situações do nosso dia a dia.”, conta Gabreoh. 

A carreira musical de Gabreoh é pensada como um espaço para que o artista possa falar sobre o que lhe interessa de maneira bem humorada, sem deixar de trazer reflexões.

“É um projeto muito novo, então a primeira etapa ainda é agora. Foi um processo muito grande e difícil, produzir essas músicas e criar essa história, mas ele tem andado cada vez mais rápido e tomando forma cada vez melhor. É onde eu posso mostrar e falar mais sobre mim e as coisas que eu sinto de uma maneira divertida e reflexiva”, explica Gabreoh.

Com grandes referências, o EP ganha forma através da essência pop. Intérpretes como Duda Beat, Marina Sena, David Bowie e Madonna ajudaram na composição da harmonia. Para a estética, o visual conta com uma mistura de obras humorísticas, cartoons e surrealismo. Juntos, esse processo criativo traz uma produção espontânea e divertida.