O artista brasiliense Tiago Sá acaba de lançar um remix e clipe explosivo para a canção de protesto “Anticorpos Antifascistas”. A música, que fala de forma crítica sobre a gestão desastrosa da pandemia de covid feita pelo governo brasileiro, está no EP “Querelas de Brasilia”, lançado em 2021. A nova versão, vem mais carregada no instrumental e conta com Tiago cantando todos os versos sozinho desta vez, ele explica: “Eu estava querendo fazer uma versão remix de Anticorpos Antifascistas já tinha tempo. A versão original lançada há um ano teve a participação da Andressa Munizo cantando junto comigo a melodia que eu tinha criado. A voz da Andressa deu uma delicadeza interessante como contraponto à letra séria da música”. E continua: “Já na nova versão eu quis usar apenas a minha voz na intenção de retirar a suavidade e trazer mais intensidade destacando a seriedade do tema da canção. Essa intensidade eu também quis trazer para o novo instrumental, com uma bateria eletrônica com timbre mais orgânico e bumbo e caixa mais preenchidos, o baixo e os, synths também estão mais preenchidos e com timbre mais expressivo”.

Para o lançamento da nova versão da música, Tiago convidou e contou com a parceira da  Imarginarte Produção Popular, para fazer o videoclipe relembrando e registrando fatos e personagens que não podem ser esquecidos nesse processo que resultou em mais de 685 mil vidas perdidas até o presente momento no Brasil.

O vídeo antes de tudo para nós foi um registro histórico sobre os principais personagens que contribuíram para um dos piores extermínio da história recente do nosso país. Para nós esse remake do vídeo e da música demonstra o quão coerente e necessário é a letra, por retratar o que sempre será regra, a ascensão do fascismo e da extrema direita é extremamente doloroso para as minorias políticas e para toda classe trabalhadora”, explica o diretor Henrique Montezano. “Acreditamos que além disso esse tipo de trabalho é importantíssimo, pois vai de contrapartida da perspectiva de arte pela arte, assumindo o profundo compromisso de arte pela transformação”, complementa.

O lançamento é do selo Hominis Canidae REC.